23 de maio de 2017

Conheça a Revista Jovem Geek

Reprodução: Revista Jovem Geek
Olá leitores!
Se você é fã de literatura e gosta de ficar por dentro das novidades desse universo, a Revista Jovem Geek será perfeita para você. Mas, se você prefere filmes, animes, séries, games e/ou tecnologia, a Revista Jovem Geek também será perfeita para você. E o melhor de tudo: é totalmente online e gratuito. Então, o que você está esperando para se cadastrar e receber todo mês a sua edição?

Para se cadastrar, basta clicar aqui.

A Revista irá estrear no dia 25 de maio, quinta-feira. Para uma melhor interação e conhecimento do seu público, a equipe criou um evento no Facebook, que no dia da estreia contará com participações e bate-papos bem especiais durante o dia. 
Se você é criador de conteúdo, seja através de blog, canal, site ou outro meio, e deseja reservar um horário para conversar sobre algum assunto nerd no evento e aproveitar para divulgar o seu trabalho, basta entrar em contato através do e-mail: revistajovemgeek@gmail.com

Além de matérias sobre literatura e o mundo geek, também haverão concursos durante as edições, e você já pode participar do primeiro. Não importa se você gosta de escrever ou se prefere desenhar, terá oportunidade para ambos. Os temas para o primeiro concurso são:

Concurso de textos: Língua Portuguesa - um mundo de palavras
Dia 10 de junho é o Dia da Língua Portuguesa, e para comemorar utilizaremos a Língua Portuguesa como tema do concurso de textos. Aqui não haverá regras, apenas abuse da criatividade e boa sorte.

Concurso de desenhos: Games clássicos
Para você que gosta de desenhar e é fã de games antigos, essa é a sua oportunidade (mas vale para aqueles que só gostam de desenhar também, tá bom?). Pode escolher entre uma cena do seu clássico preferido ou até mesmo personagem, a única regra é ser uma arte rupestre. Uma dica: faça como se o desenho estivesse exposto em uma caverna, assim você terá ainda mais chances de ser selecionado.

Autores e lojas que quiserem uma parceria com a Revista, é só entrar em contato com a equipe, pois eles terão uma proposta especial para vocês. Quanto aos blogueiros, basta divulgar a Revista Jovem Geek, e logo eles darão um retorno de como você aparecerá na edição seguinte.

Bom, eu já estou ansiosa para ter a primeira edição nas "mãos", ou melhor, na tela do meu celular/computador. Não percam a oportunidade de conferir esse trabalho incrível que está sendo feito especialmente para nós. Vamos ajudá-los a crescer e espalhar mais conteúdo geek por aí!
Um beijo e até a próxima.

Reprodução: Revista Jovem Geek

20 de maio de 2017

[COLAB] TAG: Games

Reprodução: Google
Olá leitores!
Para quem não sabe, nos últimos anos eu tenho tido um grande interesse em games, inclusive estou adorando me aventurar em jogos de diferentes estilos. Como o foco do blog é literatura, eu acabo deixando meus outros gostos um pouco de fora, mas pretendo encher aqui de indicações de games e outras coisas mais.

Eu participo de um grupo de criadoras de conteúdo, um grupo exclusivo para mulheres, onde prestigiamos o trabalho das colegas e fazemos amizade entre nós. A Tia Wolka criou essa TAG sobre games e convidou todas nós para participarmos. Eu deixarei no final do post o link de todos os canais que estão participando dessa colab, e já adianto que vale muito a pena conhecer cada um. Então, não se esqueçam de visitar as outras moças do projeto.

Vamos as perguntas?

1. Qual jogo que você não esperava nada e te surpreendeu?
Never Alone. Além de ter uma história muito fofa, fala bastante sobre companheirismo e amizade. Foi um jogo que me encantou do começo ao fim, e que não parei de jogar até finalizá-lo. Virou um amorzinho para mim e ainda lembro dele com muito carinho.

2. Qual jogo que você esperava muito e te decepcionou?
Por enquanto ainda não tive nenhuma experiência negativa com games. Todos que costumo jogar eu acabo por gostar da história e personagens.

3. Qual jogo que todo mundo gosta e você não jogou (e não tem vontade de)?
Fifa. Eu cheguei a jogar uma vez, e até que achei legal, mas não é um jogo que eu me encho de vontade e nem faço tanta questão também. Como não gosto de futebol, é um jogo que não me atrai.

4. Qual jogo que você jogou que quase ninguém conhece?
Life Is Strange. Não é que quase ninguém conheça, mas é um jogo que eu não vejo as pessoas falarem sobre ele com frequência. Eu conheci ele através de um blog, mas só tive conhecimento dele nessa ocasião, depois não vi mais nenhum comentário (até agora que foi anunciado uma sequência). Embora seja um jogo um pouco "desconhecido", é aquele tipo de jogo que todos deveriam jogar. Deixo-o como recomendação aqui.

5. Qual seu personagem favorito dos jogos?
O Nathan Drake, de Uncharted.

6. Qual a cena mais marcante para você no mundo dos jogos?
A cena final de The Last Of Us, quando o Joel tem um diálogo com a Ellie sobre o que aconteceu com os Vagalumes. Eu me arrepio toda vez que vejo essa cena.

7. Qual jogo que marcou mais sua vida?
Posso dizer Bomberman? Eu tenho dois jogos preferidos, que joguei mais recentemente, mas Bomberman fez parte da minha infância. Eu cheguei a zerar todos os que tinham para computador, que chegavam a ser mais de 6. E mesmo se eu já tivesse terminado, eu adorava fazer tudo do começo novamente. É o primeiro jogo que me vem na cabeça quando me perguntam qual game eu costumava jogar quando era criança. Queria citar Sonic, mas acredito que o impacto de Bomberman foi bem maior.

12 de maio de 2017

Resenha: "Como Analisar Narrativas" - Cândida Vilares Gancho


Reprodução: Google

Como Analisar Narrativas
Autora: Cândida Vilares Gancho
Editora: Ática
Ano: 2002
Minha classificação:  (4/5)

Como Analisar Narrativas é um livro bastante didático e auxilia com maestria quando o assunto é análise da narrativa, servindo de bom grado para aqueles que querem aprender o básico sobre o assunto. Embora não te dê explicações extensas e mais aprofundadas, as explicações são curtas, porém objetivas. Para entender melhor do que o livro se trata, os tópicos abordados são os seguintes: gênero narrativo, tipos de narrativa, elementos da narrativa (enredo, personagens, tempo, espaço, ambiente e narrador), tema - assunto - mensagem e os tipos de discurso (direto, indireto e indireto livre). Tudo bem separado e específico.

Algo que deve ser destacado e que eu gostei bastante foi a parte final, onde encontramos termos, normalmente usados dentro de narrativas, junto com seus significados, tudo de maneira prática e de fácil entendimento. Termos que poderão ser usados na hora da escrita e que também podem ser conferidos durante as leituras, e que às vezes podem ser desconhecidas ao leitor.

Recomendo a leitura para estudantes de Letras e, principalmente, para os de narração e escritores. Por mais que não tenha informações revolucionárias, as dicas são essenciais e também são a base de uma boa construção de texto narrativo. Se você é iniciante nesse assunto, o livro vai conseguir te deixar por dentro de todos os termos e te ajudará na hora de escrever.

Minha opinião
Eu usei esse livro para minha análise literária no TCC, e ele se mostrou fundamental durante a minha pesquisa. Foi um achado que me ajudou muito, principalmente na hora de identificar cada item abordado na obra que escolhi para analisar, que foi O Morro dos Ventos Uivantes. Foi através dele que consegui fazer de forma precisa e simples a minha análise da narrativa, sem nenhuma dificuldade ou desespero.
Como eu disse lá em cima, o livro tem uma linguagem fácil e objetiva, então todos os termos usados para exemplificar cada item são descritos de formas rápidas e pequenas, sendo até mais fácil de se entender. Isso foi um dos pontos mais positivos que achei na obra, pois a autora dá as respostas da maneira que fará você entender.
Eu gostei da leitura e ela serviu muito bem para o seu propósito, que foi me auxiliar. Não sei se eu teria tido interesse pelo livro se não fosse esse momento de precisão, mas é uma leitura que eu indico até para aqueles que só querem saber um pouco mais sobre a construção de uma narração. Não é uma leitura que irá te tomar muito tempo, até porque o livro é bem curtinho e dinâmico, tendo uma leitura leve e rápida. Esse livro faz parte da coleção "Série Princípios", a qual já fiz outras resenhas por aqui (Como ordenar as ideias e Técnicas de comunicação escrita). É uma série que vale a pena ter um pedaço da sua atenção.

5 de maio de 2017

#12mesesdePoe: A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaall + Sozinho


Reprodução: Google

A Aventura Sem Paralelo de um tal Hans Pfaall
Minha classificação: (4/5)

Sozinho
Minha classificação: ♥ 
(5/5+favorito)

Autor: Edgar Allan Poe
Conto: A Aventura Sem Paralelo de um tal Hans Pfaall
Na pequena cidade de Roterdam, em um dia comum, há a chegada de um balão de ar que desce através do céu com um passageiro peculiar, uma pessoa que a primeira vista aparenta não ter orelhas. Enquanto os cidadãos da cidade observam aquele ser estranho, o homem desconhecido joga uma carta para o superior da cidade e segue viagem de volta ao céu.

A carta está assinada por Hans Pfaall, um homem que está desaparecido já faz alguns anos. Através dessa carta descobriremos o paradeiro de Hans Pfaall, as aventuras que viveu nos últimos anos e o que o levou a sair da cidade. Por mais que ao final da leitura cada cidadão tenha a sua própria opinião sobre o ocorrido, se aquelas palavras são verdadeiras ou não, cabe ao leitor tirar a sua própria conclusão sobre a história de Hans Pfaall

O conto é longo, tendo 21 páginas na versão em que li. Há termos científicos sobre a construção do balão de ar e o que faria aumentar ou diminuir a velocidade de sua subida aos céus, também tem muita descrição extensa desses termos, algo que me confundiu bastante. Nesse conto conheceremos o lado de ficção científica do Poe, e é uma experiência maravilhosa.

Poema: Sozinho
Um poema difícil de ser descrito, mas fácil de ser sentido. Nesse lindo poema Poe vai dissertar sobre sua infância, seus amores e seus demônios. Vai dividir com o leitor sobre o seu íntimo, seu pessoal. É um conto que recomendo de olhos fechados e com todo o meu coração. Por favor, leiam.
"Não fui, na infância, como os outros
e nunca vi como outros viam.
(...)
Tudo o que amei, amei sozinho."
Minha opinião
Sobre o conto:
Por mais que o conto seja longo, e às vezes até cansativo, foi uma leitura que me agradou bastante e se tornou a melhor até agora dos lidos em 2017 no projeto. O Poe traz uma história sobre balões de ar em uma época que havia acabado de se criar os tais. Admito que mesmo para mim, uma história desse tipo e com esse foco é algo novo nas minhas leituras. Não costumo ler ficção científica, arrisco em dizer que li apenas um ou dois livros desse gênero, então tudo que envolva isso já se torna novo para mim.

Algo que me incomodou foram as descrições longas e científicas que o narrador dá para provar que tudo que está fazendo é cientificamente e fisicamente possível. Sei que são descrições necessárias para a história, porém, por não entender grande parte delas acabei por me sentir cansada durante a leitura e até entendiada em alguns momentos. Afinal, é bem incomodo ler algo que você não entende e nem sabe para que caminho vai.

Embora esse ponto tenha sido bastante negativo na minha experiência de leitura, o resto se destacou para mim. A história me intrigou bastante e despertou a minha curiosidade do começo ao fim, eu ansiava por saber o que havia acontecido com o tal Hans Pfaall e onde ele estaria no momento. Ansiosa para saber mais sobre suas descobertas e se ele havia conseguido alcançar o seu objetivo com o balão.

Não é um conto que eu recomendo para os inciantes nos escritos do Poe, tanto por causa da narrativa lenta como também por causa das descrições científicas e extensão do texto. Mas, é um conto que indico para aqueles que já tem uma familiaridade maior com o autor e que tem vontade de se aventurar em coisas novas do mesmo. Se você gosta de ficção científica, será uma experiência ainda melhor.

Sobre o poema:
Mal terminei de ler e já entrou para os favoritos da vida! Foi o poema que, até agora, mais me tocou e que senti uma identificação imensa ao ler. O eu-lírico descreve de maneira bela sobre o seu eu interior e sua visão de mundo. É um poema difícil de se falar sobre, mas que tem uma leitura fácil e rápida. Você lê em poucos segundos e já se sente conectada e apaixonada por aquelas estrofes, querendo reler cada vez mais para extrair novos significados.

É um poema que eu indico até mesmo para aqueles que não gostam desse tipo de texto. Para aqueles que ainda não leram nenhum poema do Edgar Allan Poe, também indicaria para começar com esse, pois tenho certeza que depois de conhecê-lo você não irá mais parar de se aventurar nos poemas do Mestre. Fica a dica.
Participe do projeto conosco: 

3 de maio de 2017

Guardiões da Galáxia Vol. 2 é ainda melhor do que o primeiro?


Reprodução: Google
"Agora já conhecidos como os Guardiões da Galáxia, os guerreiros viajam ao longo do cosmos e lutam para manter sua nova família unida. Enquanto isso tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill."Assista ao trailer
Olá leitores!
Se você entrou nesse post justamente por causa da pergunta que aparece no título, saiba que a resposta para ela é: sim. Ainda estou com grande dúvida se o segundo filme conseguiu superar o primeiro, mas colocando na mesa todas as coisas positivas que vi nele (e que também aparecem no primeiro, mas com menor intensidade), acredito que o volume 2 tenha superado ainda mais minhas expectativas. Para aqueles que estavam ressentidos e com medo da continuação por causa da crítica tão positiva para o primeiro, não se preocupem e nem se prendam a isso. Guardiões da Galáxia Vol. 2 consegue ser tão bom quanto o seu antecessor, ou até melhor.

O elenco de guardiões se repete, tendo Chris Pratt como o Senhor das Estrelas, Zoë Saldaña como Gamora, Dave Batista como Drax, Bradley Cooper dando voz ao Rocket, Karen Gillan como Nebulosa, Michael Rooker como Yondu, Vin Diesel dando voz ao Baby Groot, entre outras novas aparições.

Reprodução: Google
Para o post não ficar tão monótono e repetitivo, decidi citar 5 coisas que mais gostei em Guardiões da Galáxia Vol. 2. Espero que esses cinco itens despertem em vocês curiosidade pelo filme e vontade de ir assisti-lo no cinema. E claro, espero que tenham a mesma experiência maravilhosa que eu tive.

A HISTÓRIA
Algo que me conquistou bastante no filme foi a história retratada. Por incrível que pareça, os trailers que saíram de Guardiões da Galáxia Vol. 2 não entregaram todo o clímax que seria visto na tela, e isso foi uma surpresa muito agradável para mim. Não sei se tive essa impressão porque não conheço as HQ's e não sei muito sobre o universo dos Guardiões, além do que pude conhecer no primeiro filme, então todos os personagens foram novos para mim, inclusive o vilão.
O foco principal do filme é a união, a família. Nessa continuação vamos conhecer os Guardiões depois dos eventos do primeiro longa, e vamos saber como eles estão lidando juntos com novas aventuras. Há uma grande procura por aceitação, conhecer um ao outro, conviver intimamente em grupo
Eu me senti muito conectada ao Rocket e a sua maneira de ser, o seu jeito de tratar os outros, mesmo que de forma nada emotiva ou carinhosa, pois afinal esse é o jeito dele. Eu me identifiquei com o personagem e me senti na pele dele, algo que não havia sentido antes. Fiquei feliz por ter conseguido ter uma conexão ainda maior com cada personagem do grupo e também com os novos que surgiram, e acredito que a história foi um grande motivo para tal.
Além de ter momentos cômicos e de sentimentalismo, ao mesmo tempo que você irá se acabar de tanto rir, você também deixará aquela lágrima escorrer pelos olhos. É um filme muito gostoso de se assistir, com uma história muito boa de ser apreciada e sentida. A história consegue criar um grande elo com o telespectador e deixá-lo conectado a todo momento, servindo assim para que as horas passem sem ser percebidas.

A CARACTERIZAÇÃO DOS PERSONAGENS
Outro ponto que me encantou bastante em ambos filmes dos Guardiões da Galáxia é a maquiagem dos personagens. Eu fico encantada com todo o trabalho feito pela equipe de maquiagem, todo o cuidado com cada detalhe, tudo feito com muito esforço e carinho para ter um trabalho digno e que agrade aos fãs (e novos fãs).
Eu consegui ficar ainda mais maravilhada nesse segundo filme, ainda mais por ter novas raças de planetas diferentes. Foi ótimo ter esse novo conhecimento, fiquei até curiosa para saber mais a fundo sobre cada um. 
Não podemos esquecer de citar o Baby Groot, que foi muito esperado por causa de sua fofura extrema. O personagem está um amor, sendo impossível você não achar o pequenino um fofo em vários momentos. Juro para vocês que preciso de um Baby Groot o mais rápido possível.

OS EFEITOS ESPECIAIS E O 3D
A caracterização dos personagens completam-se com os efeitos visuais utilizados no filme e a forma que o 3D é trabalhado no mesmo. Tudo é muito bem encaixado e se complementam. Os efeitos especiais do filme não ficam a desejar em nenhum momento. Toda a paisagem, fotografia e cenário são muito bonitos e maravilhosos de serem contemplados. Todos os efeitos são trabalhados com maestria junto com o 3D, fazendo com que você tenha uma imersão ainda maior no filme. Você sente como se estivesse naquela planeta, ao lado dos Guardiões. Acabamos ficando tão maravilhados com as novidades e a beleza dos lugares quanto eles próprios. Assim como é algo novo para eles, também é para nós. E isso torna a experiência ainda mais pessoal e positiva.

O ESPAÇO DA GAMORA E NEBULOSA
Acredito que no primeiro filme, que foi feito mais para nós conhecermos os personagens e sabermos a motivação de cada um, temos um pouco sobre a vida pessoal da Gamora e da Nebulosa. Mesmo que a Gamora tenha um tempo maior em cena do que a Nebulosa, acredito que ambas ainda tenham sido deixadas um pouco de lado em determinados momentos, por mais que eu ache a inclusão da Gamora presente e ativa.
Assistindo ao segundo filme, tive a impressão que a Gamora e a Nebulosa ganharam um espaço maior dentro da história, a primeira principalmente. Vivendo as duas em uma briga constante durante o longa, também temos a revelação do motivo o qual resultou essa intriga entre as irmãs. Mesmo que a Nebulosa seja considerada uma vilã, já que seus atos são sempre negativos e destrutivos, é quase impossível você chegar ao final do filme sem ter um pingo de compaixão pela personagem, e arrisco até em dizer que um carinho também.
A Gamora, como sempre, esbanja um grande girl power nessa continuação, e se encaixa muito bem no papel de não ser apenas uma investida romântica para o Quill, mesmo que acabemos querendo os dois juntos no final. Ela se tornou uma das minhas personagens preferidas de super-heróis, e espero vê-la cada vez mais forte nos filmes seguintes. Só uma dica: você irá adorar uma cena de luta que há entre a Gamora e a Nebulosa. Prepare-se para perder o fôlego.

O ALÍVIO CÔMICO
Guardiões da Galáxia é conhecido pelo seu humor característico, aquele humor divertido e despretensioso que arrancará muitas gargalhadas do público, seja criança ou adulto. No segundo filme não seria diferente. 
O Drax ganha um espaço ainda maior para o seu humor com piadinhas sinceras que arrancam a maioria das risadas. O personagem tem um humor muito gostoso de ser compartilhado, sendo o maior alívio cômico da trama e trazendo uma conexão maior com ele. Tenho certeza que pelo menos uma de suas frases ficará grudada na sua cabeça ao sair do cinema.
Eu ri bastante durante Guardiões da Galáxia Vol. 2 e fiquei com uma impressão muito positiva com esse humor. Sai do cinema com um sentimento muito bom dentro de mim, é um filme que te traz muita alegria e te arranca muitos sorrisos. Aquele filme ideal para rir bastante e compartilhar as piadas ao final do filme com os amigos.

Reprodução: Google
O que eu não gostei?
É difícil pensar em algo que não tenha me agradado nesse filme. Ao meu ver, a medida usada de humor, ação e a pequena pitada de romance caíram todos muito bens na trama. Todos na medida certa. É claro que eu gostaria de ter ainda mais personagens femininas na história, mas achei que todas as que foram exploradas tiveram um ótimo espaço no filme e se destacaram ao seu modo. E a trilha sonora também volta com tudo e ganhou um espaço reservado no meu coração! Como no primeiro, a música também é muito frequente nessa continuação, sendo um personagem essencial do filme e servindo para maior imersão nas cenas.
No geral, eu gostei do filme por inteiro, então não tenho o que criticar.

Para quem vai assistir o filme no cinema, não se esqueça: há cinco cenas pós-créditos. E uma é mais legal do que a outra. Se puderem, não percam a chance de conferir todas! Além das cenas pós-créditos, os próprios créditos são interativos e legais de serem assistidos. Uma ótima maneira de manter o público esperando sem se cansar.
Mas, e aí? Vocês já foram conferir o filme nos cinemas? Estão ansiosos para assisti-lo? Eu gostei muito e estou indicando-o para todas as pessoas. Espero que eu tenha convencido você de ir assisti-lo nos cinemas o quanto antes, e que vocês gostem do novo filme dos Guardiões. Agora só devemos aguardar a nova aparição do grupo, e que venha Guerra Infinita! Um beijo e até a próxima.